Notícias

29/09/2017

Dia do coração. Como está o seu?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Dr. Ivan Romero Rivera, cardiologista do Centro de Diagnóstico MedRadius, explica que o ecocardiograma é um ultrassom que serve para estudar o movimento do coração, o tamanho das câmeras do coração e basicamente a função cardíaca.

Ele nos conta que são várias as indicações para realizar o ecocardiograma . Todas as situações nas quais o médico, seja cardiologista ou de outra especialidade, precise avaliar o coração como um músculo para ter um diagnóstico preciso de acometimento cardíaco em algumas situações, por exemplo: hipertensão arterial, diabetes mellitus, entre outras. Todas as situações de doenças cardíacas podem basicamente ter alguma alteração no ecocardiograma , que pode ser detectada e isso ajuda ao cardiologista clínico fazer o diagnóstico.

Dr. Ivan chama a atenção para a necessidade de vencer o sedentarismo. Ele afirma que, uma coisa é praticar atividade física, isso está liberado para todas as pessoas, faz bem e precisa ser feito com certa regularidade, mas se é um treinamento constante do indivíduo, ele precisa de uma liberação do médico cardiologista que geralmente faz o eletrocardiograma e uma história clínica desse paciente e se ele detecta alguma alteração nessa história clínica ou no eletrocardiograma ele solicita um ecocardiograma que pode ajudar a prevenir algumas alterações que eventualmente ponham em risco a vida do paciente. Quando essas alterações são do ponto de vista anatômico, por exemplo as arritmias que são detectadas mais pelo eletrocardiograma. Então o clínico utiliza todos os exames para fazer um diagnóstico preciso. Dr.Iran conta que muitas vezes o paciente pergunta: o meu exame está normal ou ecocardiograma tá normal?  E quando a resposta é sim, ele entende que não tem nada, mas o cardiologista faz o exame físico do paciente, confere a freqüência cardíaca, afere a pressão arterial, avalia o eletrocardiograma e o ecocardiograma e em conjunto faz um diagnóstico, que assim poderá ajudar a prevenir algumas situações mais graves pra quem pratica atividade física ou exercício com treinamento intensivo.

Pra indivíduo jovem, abaixo de 45 anos de idade, de uma forma geral não existe uma necessidade de se fazer uma série de exames para diagnóstico de alguma alteração que possa pôr em risco a vida dele, acima de 45 anos de idade se acredita que como a doença coronariana pode ser prevalente a partir dessa idade, todos os indivíduos que venham praticar atividade física acima de 45 anos precisam fazer uma boa avaliação clínica e um eletrocardiograma e se o médico achar alguma alteração, ele precisa fazer um ecocardiograma e um teste ergométrico para ser liberado. Lógico que criança e adolescente praticam atividade física de uma forma mais regular e não é obrigatório fazer todos os exames, mas o médico sempre deve avaliar quando existe alguma suspeita e um antecedente familiar.  Criança, que com atividade física cansa muito, criança que desmaia criança que tem dores, devem ser avaliadas antes de iniciar a prática, intensa, atividade física.